ANSIEDADE – O que você precisa saber!

Ao trabalhar com performance profissional e pessoal, demanda ter atenção a itens relacionados a saúde em todos os seus aspectos, origens e impactos.

A ansiedade é uma sensação típica de quem vive a vida com pensamento no futuro, pois a pessoa está preocupada com coisas que ainda nem aconteceram.

Engana-se quem acha que a ansiedade surgiu com o mundo moderno. Ela existe desde a muito tempo …

 

 

É um sentimento mais antigo e mais comum do que se possa imaginar. Se estamos vivos hoje é graças a esse sentimento, pois nos ajudou a ser cautelosos por séculos e séculos de evolução.

Os homens mais inquietos, atentos e ansiosos, tinham mais chances de sobreviver. Já os homens mais distraídos e menos ansiosos eram prezas fáceis.

E graças a esse mecanismo de sobrevivência que nos trouxe até aqui, herdamos a ansiedade. Fisiologicamente ela é uma resposta de antecipação do corpo. É natural e faz parte do sistema de defesa, que ativa o mecanismo luta ou fuga, que nos faz agir diante de ameaças.

As ameaças atuais não são mais como a dos nossos ancestrais. Hoje, quem se permite ficar ansioso o tempo todo, se torna seu maior predador.

O ansioso está em constante alerta por causa de uma situação que pode nem vir a acontecer e isso causa sofrimento.

É aquele famoso E SE…martelando na cabeça o tempo todo, comunicando e gerando pensamentos que desdobram em emoções ou ações, ou inações.

O ponto é que temos o poder de controlar nossos pensamentos, e mudar consequentemente os sentimentos, será que você consegue?

E se você tem o poder de controlar e não está fazendo, por isso te digo mais uma vez que hoje você é seu maior predador.

Varias situações são gatilhos para ansiedade, assim como potencializam esta emoção ou até trazem uma certa “normalidade”nesta sensação como:

  • Falar em público;
  • Expectativa para datas importantes;
  • Entrevistas de emprego;
  • Vésperas de provas;
  • Exames de saúde;
  • Relacionamentos pessoais;
  • Entre outras….

O corpo, quando expostos a estas situações, libera adrenalina que aumenta batimento cardíaco (taquicardia), aumenta a respiração que causa falta de ar, esta falta de ar pode por vezes causar tontura. Também inibem o sistema digestivo e deixam a boca seca, fazendo o corpo trabalhar para evitar um hiperaquecimento liberando assim o suor.

Sinais da preparação lutar ou fugir. Está tudo dentro do normal.

A questão é quando acontece sem objetivo, sem uma real ameaça ou com frequência e intensidades desproporcionais as situações, submetendo o corpo a isso tudo à toa.

 

Medo e Ansiedade

Fazendo um paralelo entre o medo e ansiedade. O medo faz parte da ansiedade. Por exemplo: quem teme constantemente ser assaltado vive ansioso quando sai para a rua. Porém, caso o assalto não ocorra, naquele momento o que a pessoa sente é somente o medo.

Ambos surgem na mesma área do cérebro que cuida do mecanismo de defesa e que analisam o mundo à volta procurando ameaças e registram os perigos para evitar riscos futuros.

A diferença está na distancia do perigo.

Ansiedade -> preocupação com o futuro.

Medo – > a preocupação está próxima.

 

Corpo e mente estão conectadas e quando se trata de ansiedade, por estarmos no controle, temos o poder de agir racionalmente e traçar um plano para eliminar o perigo. Já com o medo, temos as mesmas reações dos nossos ancestrais. Ativamos o mecanismo luta ou fuga e numa fração de segundos decidimos, pois isso nos protege de qualquer risco eminente.

A nossa maneira de pensar influencia muito na ansiedade. Se a pessoa é mais negativa, catastrófica e imagina que as coisas vão dar errado o tempo todo é bem provável que ela viva ansiosa.

Perceba que começa no pensamento (mente) e afeta o corpo.

Segundo a OMS, o Brasil é o país mais ansioso do mundo e a ansiedade tem sido chamada de o Mal do Século.

Hoje, somos mais preocupados, pois antigamente não tínhamos acesso à tanta informação e nem tantas decisões e ações, tudo muito e demais, típicos sociedades modernas que possui muitos excessos.

O volume de informação disponível e facilmente acessado satura a mente e impede a absorção de informação, dificulta o aprendizado e altera a construção de pensamentos.

Estamos hiper conectados, a informação chega a qualquer canto e de todo lugar numa velocidade muito rápida. E isso fez com que uma simples mensagem não respondida em poucos minutos gere uma ansiedade tremenda.

Uma ansiedade que é vivida de forma intensa e frequente, pode se tornar patológica. Temos como exemplo: Fobias, Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), Transtorno de estresse Pós-traumático (TEPT), Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA). Essas pessoas precisam ser medicadas.

Então vamos entender agora o que é comum nas pessoas hoje em dia, mas não é normal. E pode indicar que a ansiedade deixou de ser aquela ansiedade para te proteger e já pode ser patológica.

 

Impacto psicológico:

  • Enxergar perigo em tudo;
  • Busca de prazeres momentâneos: açúcar, jogos eletrônicos, Netflix (fuga);
  • Alterações de sono;
  • Preocupação em excesso;
  • Ficar à beira de um ataque de nervos;
  • Conviver com medos irracionais (o problema é real?)
  • Apresentar inquietação constante;
  • Perder concentração;
  • Irritabilidade;
  • Perda de autoconfiança;
  • Pensamento obsessivo (negativo);
  • Diminui capacidade de aprender corretamente e recordar com precisão;
  • A capacidade intelectual é atingida, pois diminui capacidade de pensar com clareza e julgar adequadamente.

Num estágio muito evoluído pode levar ao Estresse e Depressão (Brasil é o 5° país no mundo no ranking da Depressão).

É necessário que você perceba os sinais do seu corpo e encare os sintomas acima como comum, mas não normal, cuidar de si e atentar-se para não passar do ponto.

 

E quando você passou do ponto?

Quando sua saúde emocional, relações pessoais e profissionais, inteligência, cognição e resultados estão comprometidos é sinal que já passou do ponto.

Essa linha de quando passa do ponto ou quanto está na normalidade é muito tênue e varia de uma pessoa para outra, importante é perceber os sinais do corpo, se conhecer e se entender.

O médico ou um especialista precisam ser procurados nesse momento, o problema é que muitas pessoas tomam remédio para dormir, remédio para se manter acordadas e tudo isso sem o médico.

E fazendo uma reflexão aqui: quando você tem febre, se você só a tratar que é um sintoma, ela pode desaparecer sem nem sequer você saber a causa. E isso pode até mascarar uma doença.

O desafio quando se trata de ansiedade é não apenas tratar o sintoma, mas também identificar o motivo dessa inquietação, o qual chamamos de gatilho.

Não é normal viver uma vida toda tomando remédio. Pode ser necessário por um determinado momento. Mas descoberta e trabalhada a causa, o médico aos poucos vai tirando a medicação.

Na maioria das vezes a ansiedade diminui quando há um enfrentamento direto do problema.

Quer aprender a ver de forma correta os acontecimentos e dar os devidos significados a eles?

Conseguir conectar-se verdadeiramente e melhor consigo e com o próximo?

Conte conosco.

Light Consulting & Coaching – Luz para sua vida

Nenhum Comentário

Gostou? Deixe um comentário.